coração-pensa
Nosso coração possui um conjunto de 40 mil neurônios, um “minicérebro”. Este conjunto torna o coração sensível e capaz de adaptar seu comportamento de acordo com suas percepções.
 
Sim! Ele pensa!
 
O coração reage ao que percebe, influenciando todo o corpo, inclusive, o cérebro.
 
– O cérebro emocional –
 
 razao-vs-emocao
 
O coração contém neurônios e gânglios que têm a mesma função que as do cérebro, tais como a memória.
 
Graças a esses circuitos tão elaborados, parece que o coração pode tomar decisões e passar à ação independentemente do cérebro; e que pode aprender, recordar e, inclusive, perceber.
 
A ciência moderna tem comprovado o que os antigos acreditavam sobre o coração: o coração é o centro de uma sabedoria superior. Ele pode realmente se lembrar de coisas e pode funcionar de forma muito parecida com o cérebro.
 
A estrutura do coração é similar à do cérebro: ele tem uma intrincada rede de neurônios, neurotransmissores, proteínas e células de suporte.
 
“Há um cérebro no coração, metaforicamente falando”, disse Dr. Rollin McCraty do Instituto HeartMath, uma organização sem fins lucrativos que oferece tratamentos com base na conexão entre o coração e o cérebro.
 
O que as pessoas não sabem é que o coração envia mais informações ao cérebro do que o cérebro envia ao coração”, McCraty acrescentou.
 
O Dr. J. Andrew Armour, que cunhou o termo “cérebro coração”, em 1991, também chamou o coração de “pequeno cérebro”.
 
De acordo com a Escola de Medicina de Harvard, conversações ‘químicas’ entre o coração e o cérebro afetam ambos os órgãos. Depressão, estresse, solidão, uma perspectiva positiva e outros fatores psicossociais influenciam o coração. A saúde do coração também pode afetar o cérebro e a mente.
 
Pesquisadores descobriram, através da neuro-cardiologia (estudo da conexão entre o cérebro e o coração), que as emoções negativas colocam os ritmos do coração em padrões de ondas cerebrais fora de sincronia.
 
Respostas de estresse, por exemplo, provocam danos no corpo, contribuindo para hipertensão arterial, desenvolvimento de placas que entopem as artérias, e para mudanças cerebrais que podem contribuir para a ansiedade e depressão, de acordo com a Escola de Medicina de Harvard.
 
Por outro lado, quando uma pessoa experimenta emoções positivas, os ritmos cardíacos e os padrões de ondas cerebrais são mais harmoniosos e coerentes.
 
Coração como um centro emocional
RAZÃO-EMOÇÃO
 
O coração, como um órgão, está ligado ao conceito de ter o coração como um centro emocional. O coração envia mensagens através de caminhos físicos para o cérebro, que são então interpretadas como emoção.
 
McCraty explicou: “O batimento do coração é similar a um código Morse, com essas mensagens refletindo seu estado emocional”.
 
McCraty trabalhou como psico-fisiologista por quase 30 anos. Uma das técnicas que ele trabalha através do Instituto HeartMath é a “respiração focada no coração”.
 
Ao respirar profundamente, o paciente dirige a atenção para o coração, o que “muda a fisiologia e facilita as mudanças nos ritmos do corpo”, disse McCraty.
 
O padrão de ondas do cérebro e do coração foram medidas para observar os efeitos desta técnica, mostrando uma grande coerência.
 
Existem quatro tipos de conexões que partem do coração e vão para o cérebro da cabeça.
 

1. A comunicação neurológica mediante a transmissão de impulsos nervosos.

 
O coração envia mais informação ao cérebro do que recebe, é o único órgão do corpo com essa propriedade e pode inibir ou ativar determinadas partes do cérebro segundo as circunstâncias.
 
Significa que o coração pode influenciar em nossa maneira de pensar.
Pode influenciar em nossa percepção da realidade e, portanto, em nossas reações.
 

2. A informação bioquímica mediante hormônios e neurotransmissores.

 
É o coração que produz o hormônio ANF, aquele que assegura o equilíbrio geral do corpo: a homeostase.
 
Um dos efeitos é inibir a produção do hormônio do estresse e produzir e liberar a oxitocina, que é conhecida como o hormônio do amor.
 

3. A comunicação biofísica mediante ondas de pressão.

 
Parece que através do ritmo cardíaco e suas variações, o coração envia mensagens ao cérebro e ao resto do corpo.
 

4. A comunicação energética.

 
O campo eletromagnético do coração é o mais potente de todos os órgãos do corpo: 5 mil vezes mais intenso que o do cérebro.
 
E tem-se observado que muda em função do estado emocional.
Quando temos medo, frustração ou estresse se torna caótico.
E se organiza com as emoções positivas.
 
Sabemos que o campo magnético do coração se estende ao redor do corpo entre dois ou quatro metros, ou seja, todos que estão ao nosso redor recebem a informação energética contida em nosso coração.
 
A que conclusões nos levam estas descobertas?
conexão-coração-cérebro
 
O circuito do cérebro do coração é o primeiro a tratar a informação que depois passa para o cérebro da cabeça.
 
Não será este novo circuito um passo a mais na evolução humana?
 
Há duas classes de variação da frequência cardíaca: uma é harmoniosa, de ondas amplas e regulares e toma essa forma quando a pessoa tem emoções e pensamentos positivos, elevados e generosos.
 
A outra é desordenada, com ondas incoerentes e aparece com as emoções negativas. Sim, com o medo, a raiva ou a desconfiança.
 
Mas há mais: as ondas cerebrais se sincronizam com estas variações do ritmo cardíaco; ou seja, o coração incentiva a cabeça.
 
A conclusão é que o amor do coração não é uma emoção, é um estado de consciência inteligente.
 
O cérebro do coração ativa no cérebro da cabeça centros superiores de percepção completamente novos que interpretam a realidade sem se apoiar em experiências passadas.
 
Este novo circuito não passa pelas velhas memórias, seu conhecimento é imediato, instantâneo e, por isso, tem uma percepção exata da realidade.
 
Está demonstrado que quando o ser humano utiliza o cérebro do coração, ele cria um estado de coerência biológica, tudo se harmoniza e funciona corretamente, é uma inteligência superior que se ativa através das emoções positivas.
 
Este é um potencial não ativado, mas começa a estar acessível para um grande número de pessoas.
coração-feliz 
E como posso ativar esse circuito?
 
Cultivando as qualidades do coração: a abertura para o próximo, o escutar, a paciência, a cooperação, a aceitação das diferenças, a coragem.
 
É a prática dos pensamentos e emoções positivas.
 
Em essência, liberar-se do espírito de separação e dos três mecanismos primários: o medo, o desejo (avareza) e a ânsia de controle, mecanismos que estão ancorados profundamente no ser humano porque nos têm servido para sobreviver por milhões de anos.
 
E como nos livramos deles?
 
Assumindo a posição de testemunhas, observando nossos pensamentos e emoções sem julgar e escolhendo as emoções que possam nos fazer sentir bem.
 
Devemos aprender a confiar na intuição e a reconhecer que a verdadeira origem de nossas reações emocionais não está no que ocorre no exterior, e sim no nosso interior.
 
Cultive o silêncio, entre em contato com a natureza, viva períodos de solidão, medite, contemple, cuide de seu entorno vibratório, trabalhe em grupo, viva com simplicidade.
 
Sempre pergunte a seu coração quando não souber o que fazer!
 
Annie Marquier, matemática e pesquisadora da consciência.
Professora em Soborne, França, fundou no Quebec o Instituto para o Desenvolvimento da Pessoa.
É autora de “O poder de escolher”, “A liberdade de ser” e “O mestre do coração”.
 
“O Ser Humano leva consigo um potencial extraordinário de consciência, inteligência, sabedoria e amor; recentes descobertas cientificas constatam isso.”
 
“Hoje, vá aonde for, faça o que fizer, esteja com quem estiver, minha principal intenção é buscar e encontrar razões para me sentir bem quando vejo, ouço, cheiro, saboreio ou toco algo.”
 
Meu propósito é solicitar, experimentar, exagerar, falar e desfrutar do melhor que vejo em meu passo em cada momento.
 
Quando isto se converter em seu mantra, você se sintonizará com a melhor Vibração que encontrar, a melhor, e a melhor, e a melhor.
 
Antes que se dê conta, sua vibração estará muito próxima do que está acontecendo em seu Depósito Vibratório, em sua Realidade Vibratória.”
 
Paz e Luz.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *