emoção-biológica

Emoções Biológicas

Expressões faciais

-Felicidade
-Surpresa
-Medo
-Tristeza
-Nojo
-Raiva
Emoções Universais são controladas pela porção mais interna do sistema límbico
São reconhecidas sem necessidade de intermédio cognitivo mais apurado
Comunicação da emoção através das expressões faciais:

Emocoes

Para Darwin (1872) acredita que a universalidade de algumas expressões emocionais são respostas inatas com uma história evolutiva e muitas de nossas formas de expressar emoção são padrões herdados.
Cada cultura possui seu próprio conjunto de regras para demonstrar emoções.
Localização no cérebro
Os pacientes com danos no hemisfério direito tem mais dificuldade para reconhecer expressões faciais de emoção do que pacientes apenas no hemisfério esquerdo (Etcoff, 1985).
Uma pessoa com um dano no córtex tem dificuldade para reconhecer rostos familiares, mas ele consegue reconhecer expressões emocionais. (Bruyer, Laterre e Seron, 1983).
A capacidade de reconhecimento de rostos e emoções também são diferentemente afetadas pela estimulação elétrica de diferentes regiões do hemisfério direito: o reconhecimento de rostos é rompido pela estimulação da região os lobos parietal e o occipital, ao passo de reconhecimento de emoção é rompido pela estimulação de uma determinada região do lobo temporal. (Fried, 1982).

Estruturas das emoções

O sistema límbico é o grande responsável pela emoção, tendo o neurotransmissor que nos dá o prazer e a recompensa é a dopamina, onde se dá a liberação do núcleo acumbens.

A emoção é uma variação, ela se dá através do que sentimos, ou seja, ela é uma alteração fisiológica, podemos citá-las: raiva, medo, tristeza, ciúmes, alegria, reação de luta- fuga.

Transtorno Emocional
O transtorno mais conhecido é a depressão, e onde há perda de auto-estima e é caracterizado pela tristeza.
o transtorno de ansiedade é devido a um sentimento de medo, tensão, antecipação de perigo.

A amígdala e a emoção

amígdala

Através de experiências realizadas a relação entre a amígdala e a emoção pode ser observada de forma mais clara nos animas sem amígdala historicamente relatada por Heinrich kluver e Paul Bucy, em 1939, onde obtiveram um resultado extraordinário, realizando a extração da amígdala e do córtex temporal de macacos, experiência esta que agora é conhecido por Síndrome de Kluver- Bucy.

A relação da amígdala com o medo

A amígdala está ligada com a identificação de expressões faciais de medo e gerações de respostas para situações de perigo.

O comprometimento da amígdala em humanos gera a diminuição da capacidade do indivíduo de demonstrar suas emoções e reconhecer o medo.

O sistema Límbico

sistema-límbico

Sistema límbico é um grupo de estruturas corticais, nas quais regula o controle emocional do comportamento, regulação dos processos motivacionais como fome, sede, sexo. Algumas estruturas do sistema participam do mecanismo de memória e aprendizagem e na regulação endócrina.

Hipotálamo: regulação viceral, Regula o sono, está envolvido na emoção e no comportamento sexual.
Tálamo: recebe informações sensoriais do corpo (visão, audição, paladar e tato), e as transmite para o córtex.
Hipocampo: consolidação da memória de longo prazo
Corpos Mamilares pertencem ao hipotálamo, no qual fazem parte do sistema límbico auxiliando no processo de sedimentação da memória de longe prazo.
Giro de cíngulo: circunda a parte medial do cérebro. É a parte mais próxima do sistema límbico.
Amígdala: porta de entrada para o sistema límbico.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *