anti-depressivos

Por: Dr. Rocha

No artigo de hoje, irei falar sobre uma classe de medicamentos muito conhecidos e que vêm sendo cada vez mais utilizados por uma grande parcela da população. Me refiro aos antidepressivos.

Antes de iniciar o assunto, é importante deixar claro que todo conteúdo do texto serve apenas para caráter informativo. Se você faz uso ou tem indicação para fazer uso de qualquer medicamento, sempre consulte um médico de sua confiança antes de fazer uso de qualquer tipo de remédio.

Dito isso, podemos prosseguir para o artigo de hoje.

Os medicamentos antidepressivos começaram a ser desenvolvidos na década de 1950, e atualmente sua utilização tem aumentado bastante, uma vez que houve um conhecimento maior sobre a real necessidade de tratamentos neurológicos/mentais.

Os antidepressivos são remédios psiquiátricos que combatem a depressão e uma série de condições de saúde como anorexia, ansiedade, fobias, bulimia e síndrome do pânico, por exemplo.

É importante dizer que esse tipo de medicamento não curam as doenças citadas, mas aliviam e reduzem seus sintomas. Por agirem diretamente no sistema nervoso, somente um médico pode prescreve-los, e sendo assim, não é segredo algum, que não se devem utilizá-los sem recomendação médica.

Essa classe de remédios atua de forma a balancear os químicos naturais do cérebro e normalmente levam algumas semanas para começaram a funcionar de maneira realmente efetiva sobre os problemas apresentados pelos pacientes.

Medicamentos tradicionais podem ser muito perigosos para a saúde quando usados de maneira errado ou por quem tem alguma contraindicação a alguma substância presente no produto. Por isso friso sempre: Remédio só com receita!

Como os remédios tradicionais focam muito nos sintomas, vale a pena descobrir os benefícios dos medicamentos naturais para a sua saúde. Esses remédios, chamados de fitoterápicos, agem na raiz do problema e raramente possuem efeitos colaterais. Mas é sempre importante entender como usar, não é porque algo é natural que você pode usar em excesso.

.

Existem diferentes tipos de antidepressivos, por isso, para cada paciente, o médico irá recomendar o melhor tipo, levando em consideração sintomas, históricos e medicamentos já utilizados previamente. É comum que se faça testes com tipos diferentes, até que se encontre um que seja realmente eficaz para solucionar o problema apresentado.

Esses remédios atuam aumentando ou então prolongando a atividade de uma série de substâncias químicas cerebrais, como a noradrenalina e também a serotonina, que são reguladoras de humor.

depressivos

Essas substâncias são neurotransmissoras, ou seja, elas passam mensagens entre as células nervosas do cérebro e outros nervos do restante do corpo, causando uma sensação de alívio e bem-estar.

Os antidepressivos mais conhecidos e vendidos nas farmácias são:

  • Imipramina;
  • Clomipramina;
  • Paroxetina;
  • Fluoxetina;
  • Venlafaxina;
  • Desvenlafaxina;
  • Bupropiona;
  • Trazodona;
  • Nefazodona;
  • Seleginina;
  • Pargilina;
  • Fenelzina;

Como é comum entre muitos médicos, a indicação de remédios artificiais se dá em larga escala quando falamos de antidepressivos. Porém, é importante saber, que para depressões e outros tipos de distúrbio de humor, opções naturais podem ser utilizadas, pensando no bem-estar dos pacientes.

Irei mostrar agora, algumas indicações do uso de antidepressivos.

Indicações de uso

As indicações de uso de antidepressivos e de outras condições psicológicas são feitas um médico psiquiatra, que trata dos sintomas e utiliza-se de remédios para correção de determinadas disfunções.

Em conjunto com o psiquiatra e os medicamentos antidepressivos, um psicólogo terapeuta também pode ser de grande ajuda para garantir a saúde e bem-estar dos pacientes.

Comumente, os antidepressivos indicados para os seguintes casos:

  • Tristeza aguda;
  • Crises de choro com grandes proporções;
  • Perda de interesse em atividades que antes causavam prazer;
  • Cansaço excessivo acompanhado de desânimo, desinteresse e falta de energia;
  • Ansiedade elevada;
  • Irritabilidade frequente e sem motivo aparente;
  • Pessimismo frequente e duradouro com relação a tudo;
  • Dificuldades de concentração nos afazeres diários;
  • Emagrecimento ou então ganho de peso de maneira excessiva em um curto espaço de tempo;
  • Queda de libido e falta de vontade de consumar relações sexuais;
  • Dores de cabeça frequentes;
  • Falta de vontade de viver.

 

Efeitos colaterais

A exemplo do que ocorre com alguns medicamentos, os antidepressivos também possuem uma série de efeitos colaterais na saúde dos pacientes. Entre os principais eu cito:

  • Náuseas sem causas aparentes;
  • Aumento de apetite e ganho excessivo de peso;
  • Perda do desejo sexual e outros problemas sexuais, como disfunção erétil e diminuição da libido.
  • Fadiga e sonolência;
  • Insônia aguda e persistente;
  • Sede excessiva;
  • Visão turva, ou então embaçada;
  • Prisão de ventre e barriga inchada;
  • Tontura e vertigem;
  • Agitação;
  • Irritabilidade;

Alternativa Natural

Como havia afirmado anteriormente, embora muitos médicos não recomendem, há formas naturais de tratar uma série de transtornos e problemas de saúde. No caso de depressão e problemas de cunho psiquiátrico e neurológico, isso também existe.

A princípio, a adoção de uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas é uma ótima forma de manter os neurotransmissores e hormônios regulados, a fim de que todo e qualquer tipo de transtorno de humor não apareça.

Porém, tenho acreditado cada vez mais, que em muitas situações, apenas uma alimentação saudável e adequada, assim como a prática das mais diversas atividades físicas não são suficientes para garantir um bom funcionamento do sistema nervoso. Em diversas ocasiões, uma suplementação com fitoterápicos pode ser uma excelente saída.

alimentação-sudável

Fitoterápicos são suplementos totalmente naturais. Seus princípios ativos são retirados de plantas medicinas e também alimentos funcionais.

Comumente, todos esses tipos de substâncias são concentrados em cápsulas a fim de melhorar a absorção e aproveitamento de seus efeitos para a saúde de quem os consomem. O melhor disso tudo é que praticamente não existem contraindicações ou efeitos colaterais.

Acho válido salientar que cada vez mais tem sido difícil obter todos os nutrientes necessários única e exclusivamente através de uma alimentação, mesmo que saudável. Hoje em dia, os alimentos estão cada vez mais pobres no âmbito nutricional e nem sempre ingerimos uma quantidade ideal para que nosso organismo funcione corretamente.

Por isso, acredito que a suplementação fitoterápica se faz cada vez mais importante no nosso dia a dia. Porém, devemos sempre procurar suplementações seguras no que diz respeito a conhecimento e informações confiáveis sobre o assunto.

Contraindicações

Embora tragam efeitos benéficos a seus usuários, os antidepressivos possuem algumas contraindicações de uso.

Pacientes com problemas cardíacos, ou então após um infarto recente, são contraindicados para o uso de antidepressivos.

Pacientes que sofram com hipertrofia da próstata, constipação grave e glaucoma de ângulo estreito também não devem fazer uso de antidepressivos, pois podem ter seus problemas de saúde potencializados.

Pacientes com idade superior a 45 anos de idade precisam ser submetidos a um exame de eletrocardiograma e iniciar o tratamento com doses baixas para que sejam observadas a presença ou ausência de possíveis efeitos colaterais.

Todo e qualquer tipo de medicamento só deve ser utilizado através de prescrição médica, portanto não se medique por conta própria de maneira alguma.

ATENÇÃO!

Este artigo não substitui em nenhuma hipótese a consulta e orientação Médica e Terapêutica especializada.

 

Assista a este vídeo sobre alimentação saudável e saúde:

 

ATENÇÃO!

Este artigo não substitui em nenhuma hipótese a consulta e orientação Médica e Terapêutica especializada.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *