a-obesidade-infantil

 obesidade

O tempo talvez seja um dos principais elementos de valor no contexto globalizado atual. As sociedades, majoritariamente as ocidentais, se tornaram muito apressadas. Um reflexo dessa “correria” é encontrado na alimentação, nos chamados fast-foods (do inglês, “comida rápida”).

Fast food é uma expressão utilizada para se referir a todo alimento preparado em um pequeno intervalo de tempo e consumido por conveniência, como sanduíches e pizzas. De fato, esse hábito alimentar se tornou um elemento cultural em alguns lugares, especialmente nos Estados Unidos, fato criticado desde o final do século XX. Um dos piores perigos desse hábito foi comprovado através dos dados demonstrando a obesidade dos americanos: Entre 1988 e 1994, 23% dos habitantes do país podiam ser caracterizados clinicamente como obesos. Em 1999, esse número subiu para 30%.

Além de uma refeição dessas ser extremamente calórica (um sanduíche, um refrigerante médio e algumas batatas fritas possuem em torno de 1500 Kcal), correspondendo à grande parte do que deveria ser ingerido num dia, pode causar problemas de saúde. A grande quantidade de gordura presente nesses alimentos pode elevar os níveis de colesterol, aumentando o risco de doenças coronárias. Além disso, o açúcar presente nesses alimentos pode ter uma ligação direta com doenças cardíacas e diabetes.

Segundo o estudo Desenvolvimento do Risco Arterial Coronário em Jovens Adultos feito nos Estados Unidos, a obesidade é responsável por cerca de 300 mil mortes no país, e a cultura do fast-food é, provavelmente, o principal responsável por isso.

Com a rotina caótica que a maioria das pessoas leva hoje em dia, está se tornando cada vez mais incomum alguém sentar-se à mesa, sem pressa, para fazer uma refeição em família. Qual a solução? O ‘bom’ e velho fast food é o mais pedido por aqueles que vivem na correria, e também é a solução dos “preguiçosos” e solteiros que moram sozinhos. Mas saiba que aqueles deliciosos hambúrgueres com fritas e refri ou os hot dogs com bastante molho podem ter um efeito mega devastador sobre você.

O fast food – ou “comida rápida” – pode ser até fácil, prático e rápido, mas para a saúde humana ele chega a ser um verdadeiro vilão. Você vai conhecer aqui, no Ultra Curioso, os efeitos colaterais que esse tipo de comida pode ter sobre você, e que são agravados quando o consumo é prolongado. De úlceras até doenças do coração, os danos do fast food te farão refletir que vale bem mais perder algum tempinho preparando sua própria comida ou comendo em restaurantes, do que ter sua saúde afetada por esse tipo de alimento.

Os 7 piores efeitos colaterais causados pelo fast food que te farão repensar sua dieta alimentar.

1. Obesidade

a-obesidade-infantil-e-agora-8220mais-perigosa8221-do-que-ha-20-anos-1024x769

A obesidade é o excesso de gordura corporal e é uma consequência fácil do consumo de fast food. A comida rápida é rica em calorias e açúcares que contribuem para o ganho de peso. Mesmo pequenas quantidades de fast food podem aumentar consideravelmente o acúmulo de calorias. O fast food também substitui hábitos alimentares saudáveis, pessoas que consomem alimentos rápidos são menos propensas a comer frutas, legumes,leite e outros alimentos saudáveis.

2. Doenças do coração

doencas-que-afetam-o-coracao-3

Pessoas que consomem fast-food quatro ou mais vezes por semana, aumentam seu risco de morrer de doença cardíaca em 80 por cento. Tais alimentos criam esse risco devido ao elevado nível de gorduras saturadas ou trans encontrado em grande parte deles. Essas gorduras podem entupir as artérias e, ao longo do tempo, contribuir para a elevação dos níveis de colesterol.

3. Úlcera

Dor-no-estômago

As úlcera pépticas são feridas abertas que se desenvolvem no revestimento interno do esôfago, estômago e no duodeno. Elas podem ser ocasionadas pelo consumo prolongado de pizzas, batata frita, salgadinhos e etc.

Quanto aos sintomas, a dor abdominal é um sintoma comum, mas não ocorre sempre. A dor pode variar muito de pessoa para pessoa.

4. Organismo carente de nutrientes

Sintomas-de-la-falta-de-nutrientes

Uma alimentação bem equilibrada contém todos os nutrientes essenciais para o desenvolvimento humano. Considerando que o fast food não tem, nem de longe, todos esses elementos, ele ainda tem em contrapartida vários elementos em quantidade excessiva, enquanto outros (os principais) estão ausentes. Então, fast food não cumpre todas as necessidades do corpo e, por vezes provoca desordem no organismo.

5. Agente causador do estresse

11

Alimentos ricos em gordura são a razão de muitas doenças relacionadas ao coração, vasos sanguíneos, fígado e outros mais. Mas indo além disso, esses alimentos – que tem por principais exemplos os fast foods – aumentam (e muito) o nível de stress.

Tem-se observado que uma refeição rica em gordura pode aumentar o seu nível de estresse substancialmente devido ao poder estimulante que ela possui sobre o corpo, como alimentos e bebidas contendo cafeína (café, chá, refrigerantes e chocolates), farinha branca, sal, gorduras saturadas, alimentos processados, e obviamente, o fast food. Eles contêm aditivos sintéticos – conservantes, emulsificantes, espessantes, estabilizantes e potencializadores de sabor que pode ser nocivos para sua saúde (tanto física quanto mental).

6. Diabetes tipo 2

diabetes-blog-nutricao-joyce-rouvier-1

O fast food tornou-se um modo de vida comum para muitas pessoas ocupadas que procuram uma opção prática e barata para se alimentar. Entretanto, fazendo isso essas pessoas podem desenvolver diabetes tipo 2, um tipo de diabetes geralmente causado por sedentarismo e má alimentação e que afeta a forma de como o corpo metaboliza a glicose, a principal fonte de energia do corpo humano.

7 – Câncer

Esses alimentos também contém baixa quantidade de fibras alimentares, necessárias para o bom funcionamento intestinal e diminuição do risco de alguns cânceres, como o de intestino. Uma alimentação pobre em fibras, com altos teores de gorduras e altos níveis calóricos (hambúrguer, batata frita, bacon, etc.), está relacionada a um maior risco para o desenvolvimento de câncer de cólon e de reto, possivelmente porque, sem a ingestão de fibras, o ritmo intestinal desacelera, favorecendo uma exposição mais demorada da mucosa aos agentes cancerígenos encontrados no conteúdo intestinal.

Além disso, os alimentos de fast food e as bebidas de acompanhamento que geralmente são refrigerantes e sucos artificiais, são ricos aditivos alimentares (conservantes, anti-umectantes, corantes, edulcorantes, realçadores de sabor, etc.). Esses compostos artificiais presentes em alimentos industrializados e fast food aumentam o risco de cânceres de estômago e de esôfago.

Portanto, devemos prezar pelo momento de se alimentar, comer devagar, prestando atenção ao que se come e quanto se come. Escolhendo uma alimentação preparada com cuidado, com ingredientes frescos e naturais, porque assim, além de cuidar da nossa saúde e do nosso corpo, estaremos também, com toda certeza, comendo um alimento muito mais saboroso e prazeroso!

Se gostou do Artigo, peço que curta, compartilhe com os amigos e se inscreva no canal, pois sempre estarei postando coisas sobre Saúde e bem estar.

 

Assista a este vídeo sobre alimentação saudável e saúde:

 

ATENÇÃO!

Este artigo não substitui em nenhuma hipótese a consulta e orientação Médica e Terapêutica especializada.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *